Capa Fóruns Materiais Colas alternativas e boosters

Este tópico contém 262 respostas, possui 48 vozes e foi atualizado pela última vez por  Danilo 2 anos, 2 meses atrás.

Visualizando 8 posts - 256 até 263 (de 263 do total)

Colas alternativas e boosters


  • Tiago Brizola
    Participante
    Tiago Brizola

    Olá, Didiosan!
    Por curiosidade, hoje em dia você está usando qual?

    Boa noite.
    1) usei a Tear Mender por três anos. A recomendação é usar entre seis meses e um ano, mas já usei com mais tempo que isso e não perde o poder de fixação.

    2) deixo secar exatamente como faria com qualquer cola voc free. Depois que ficou transparente uno a madeira com a borracha.

    3) isso. Espero secar e aplico a próxima demão. Se vc usa booster, talvez precise de mais uma camada. Sem booster, duas demãos devem resolver.

    Abraço.

    Diógenes Gonçalves

    Oi Tiago.
    Minha Tear Mender acabou esse ano e usei a Easy Glue Green, da Spintech, enquanto chegava a Revolution N3, que eu havia encomendado anteriormente e que eu estou usando agora que acabou a Easy Glue.

    Recomendo fortemente uma dessas duas, uma vez que elas foram desenvolvidas tendo a Tear Mender como base, especialmente a facilidade de retirar da esponja na hora de recolar. O diferencial é que essas duas foram desenvolvidas para Tênis de Mesa e são mais fáceis de encontrar. A Easy Glue é feita pelo Gustavo da Spintech, usuário aqui do Fórum e do grupo de Whatsapp. Tem pra vender na loja do mesatenista.

    A Revolution N3 tem três viscosidades, normal, média e alta. A normal é bem líquida, parecida com a Tear Mender e a Easy Glue. A normal se comporta como as colas tradicionais de Tênis de Mesa (Butterfly, DHS, Stiga, Donic, etc). A Alta é bem parecida com a Nittaku Finezip, consistência de pasta de dente. O fabricante garante que todas se comportam da mesma forma tanto no poder de colagem, quanto na facilidade de retirada da esponja. Eu uso a viscosidade média, mas ainda não descolei, então só posso garantir que cola bem, mas tem vários vídeos no youtube mostrando a cola saindo da esponja com facilidade. Assim que retirar ela, posto minhas impressões aqui.

    Resumindo, se você não quer ficar esfolando os dedos e estragando a esponja na hora de retirar a cola é Easy Glue (a green de preferência) ou a Revolution N3. Não tem erro!
    Abraço.

    Stiga Eternity
    Rasanter R47
    Mantra M


    Tiago Brizola
    Participante
    Tiago Brizola

    Estou usando a Easyglue Green também. A facilidade em retira-la da borracha é impressionantemente.
    Perguntei pra saber como estão as opções acessíveis.
    Abraço!


    Nakata
    Moderador
    Nakata

    Eu também aderi à Easy Glue Green.
    O motivo foi uma borracha com esponja super mole e porosa que comprei. Tenho a impressão que se passar reducola com vipal vou destruir a borracha.
    Ainda não a usei mas ao fazê-lo darei uns pitacos.

    Diógenes Gonçalves

    Eu também aderi à Easy Glue Green.
    O motivo foi uma borracha com esponja super mole e porosa que comprei. Tenho a impressão que se passar reducola com vipal vou destruir a borracha.
    Ainda não a usei mas ao fazê-lo darei uns pitacos.

    Opa! Manda mesmo. Vou fazer o mesmo em relação à Revolution N3, assim que descolar pela primeira vez.

    Stiga Eternity
    Rasanter R47
    Mantra M


    Nakata
    Moderador
    Nakata

    Já venho testando as duas colas Spintech (Easy Glue e Easy Glue Green) há algumas semanas. Eis minhas impressões:

    – Atendimento: Excelente. Eu comprei diretamente com o Gustavo Auad via Facebook e ele tirou todas minhas dúvidas sobre as caraterísticas de ambas as colas e também sobre as formas de remessa. Aqui vale um destaque, eu optei por pagar a remessa mais barata, por PAC, mas ele me enviou por Sedex!

    – Caraterísticas físicas: Ambas as colas têm cheiro de amônia e são bem líquidas, diferente da Nittaku Finezip, pastosa, que foi a última cola VOC Free que eu havia testado. Por serem líquidas o trabalho de espalhar a cola é fácil, ainda mais tendo em mãos a espuma que vem junto com cada cola. Eu ainda estou aprendendo a quantidade de cola a se derramar tanto na raquete quanto na esponja. Digo isso porque se espalhar muita cola demora para espalhar pela superfície e com isso ela vai formando pequenos pelotes, provavelmente porque vai secando conforme se passa a espuma. Na minha opinião o ideal é derramar uma quantidade suficiente para espalhar 1x na horizontal e 1x vez na vertical, e após isso não ver “poças” de cola sobrando.
    Sobre a espuma, ela endurece na parte lambuzada de cola e torna-se inutilizável para usar da próxima vez. Creio que seja lavável já que a cola é solúvel em água, mas eu não tenho paciência para lavar e esperar secar. Eu estou usando e cortando fora a parte endurecida com estilete.

    – Desempenho: Excelente. A cola gruda a borracha na madeira muitíssimo bem, prova disso é que eu tenho mais dificuldade para descolar a borracha colada com a EG ou EGG do que com reducola + vipal. E ao descolar a borracha, toda a cola vem junto na esponja, não sobrando nenhum resíduo na madeira. Isso para mim é agradável, pois vai formando uma camada de cola cada vez mais grossa na esponja, o que vai tornando a batida mais macia.
    Outra característica boa é que a cola não estica a borracha, já que não possui solvente. E a borracha também não retrai após algum tempo colada, como acontece se passar reducola numa Tenergy, por exemplo.
    Não reparei diferença de comportamento dinâmico quando colada com EG ou com EGG. Mas isso porque eu uso pino de um lado e lisa do outro, logo fica mais difícil fazer uma comparação. Na minha próxima borracha, um pino Hexer Pips, vou colar com a EGG, pois a esponja é muito mole e porosa, creio que seja mais adequado.
    A retirada da cola da esponja merece um capítulo a parte. Eu já sabia da facilidade com que a EGG desgruda da esponja, como foi mostrado num vídeo, mas tive uma grata surpresa ao passar apenas uma camada da EG em uma borracha atolada de reducola com vipal. A camada de cola antiga estava tão grossa que era difícil retirar sem rasgar ou criar buracos na esponja. Isso sem contar o castigo nos dedos para ficar esfregando aquilo.
    Pois após passar uma camada de EG e usar por um treino, resolvi trocar a borracha e para minha surpresa a cola antiga, que já estava até escura, saiu com uma facilidade jamais vista. A partir de agora vou acumular camadas somente da EG ou EGG na esponja, deixando a reducola + vipal de lado. Se for botar no papel nem vale muito a pena pois uma lata de reducola custa 50 reais e uma lata pequena de vipal, em torno de 46 reais.

    – Contras (Que alías só se torna contra se não se tomar precauções antes de usar a cola): a cola gruda muito, então deve-se tomar cuidado na hora de descolar a borracha da madeira. Se a madeira não for previamente selada provavelmente vão sair fibras da mesma grudada na esponja. Isso não é nada desejável, ainda mais se se utilizar uma madeira hinoki de folha única que custa caríssimo. O recomendado é selar previamente a madeira e retirar a borracha com bastante cuidado, não dar um puxão como se fazia quando se colava com cola rápida.
    Outra coisa, que nem chamo de contra mas de desvantagem em relação à cola rápida, é o tempo de secagem. Como não tem solvente demora um pouco para secar. Isso impossibilita trocar de borracha durante um torneio, por exemplo, pois seu jogo pode ser chamado e a cola ainda estar líquida na madeira / borracha.

    No geral fiquei muito satisfeito com as colas Spintech, desde que vi o vídeo de retirada da cola da esponja vi que era o que eu esperava. Comportamento parecido com aquele eu só tinha visto com um gringo que postou a mesma tarefa com Tear Mender, produto que não é vendido nem tem similares no Brasil.
    O preço das colas, principalmente da EG, é convidativo e para mim, se trata de um ótimo custo-benefício. Pena que comprei uma semana antes da BF e perdi a promoção…

    Diógenes Gonçalves

    Boa Nakata. Ótimo review!

    Stiga Eternity
    Rasanter R47
    Mantra M


    Danilo
    Participante
    Danilo

    Já venho testando as duas colas Spintech (Easy Glue e Easy Glue Green) há algumas semanas. Eis minhas impressões:

    – Atendimento: Excelente. Eu comprei diretamente com o Gustavo Auad via Facebook e ele tirou todas minhas dúvidas sobre as caraterísticas de ambas as colas e também sobre as formas de remessa. Aqui vale um destaque, eu optei por pagar a remessa mais barata, por PAC, mas ele me enviou por Sedex!

    – Caraterísticas físicas: Ambas as colas têm cheiro de amônia e são bem líquidas, diferente da Nittaku Finezip, pastosa, que foi a última cola VOC Free que eu havia testado. Por serem líquidas o trabalho de espalhar a cola é fácil, ainda mais tendo em mãos a espuma que vem junto com cada cola. Eu ainda estou aprendendo a quantidade de cola a se derramar tanto na raquete quanto na esponja. Digo isso porque se espalhar muita cola demora para espalhar pela superfície e com isso ela vai formando pequenos pelotes, provavelmente porque vai secando conforme se passa a espuma. Na minha opinião o ideal é derramar uma quantidade suficiente para espalhar 1x na horizontal e 1x vez na vertical, e após isso não ver “poças” de cola sobrando.
    Sobre a espuma, ela endurece na parte lambuzada de cola e torna-se inutilizável para usar da próxima vez. Creio que seja lavável já que a cola é solúvel em água, mas eu não tenho paciência para lavar e esperar secar. Eu estou usando e cortando fora a parte endurecida com estilete.

    – Desempenho: Excelente. A cola gruda a borracha na madeira muitíssimo bem, prova disso é que eu tenho mais dificuldade para descolar a borracha colada com a EG ou EGG do que com reducola + vipal. E ao descolar a borracha, toda a cola vem junto na esponja, não sobrando nenhum resíduo na madeira. Isso para mim é agradável, pois vai formando uma camada de cola cada vez mais grossa na esponja, o que vai tornando a batida mais macia.
    Outra característica boa é que a cola não estica a borracha, já que não possui solvente. E a borracha também não retrai após algum tempo colada, como acontece se passar reducola numa Tenergy, por exemplo.
    Não reparei diferença de comportamento dinâmico quando colada com EG ou com EGG. Mas isso porque eu uso pino de um lado e lisa do outro, logo fica mais difícil fazer uma comparação. Na minha próxima borracha, um pino Hexer Pips, vou colar com a EGG, pois a esponja é muito mole e porosa, creio que seja mais adequado.
    A retirada da cola da esponja merece um capítulo a parte. Eu já sabia da facilidade com que a EGG desgruda da esponja, como foi mostrado num vídeo, mas tive uma grata surpresa ao passar apenas uma camada da EG em uma borracha atolada de reducola com vipal. A camada de cola antiga estava tão grossa que era difícil retirar sem rasgar ou criar buracos na esponja. Isso sem contar o castigo nos dedos para ficar esfregando aquilo.
    Pois após passar uma camada de EG e usar por um treino, resolvi trocar a borracha e para minha surpresa a cola antiga, que já estava até escura, saiu com uma facilidade jamais vista. A partir de agora vou acumular camadas somente da EG ou EGG na esponja, deixando a reducola + vipal de lado. Se for botar no papel nem vale muito a pena pois uma lata de reducola custa 50 reais e uma lata pequena de vipal, em torno de 46 reais.

    – Contras (Que alías só se torna contra se não se tomar precauções antes de usar a cola): a cola gruda muito, então deve-se tomar cuidado na hora de descolar a borracha da madeira. Se a madeira não for previamente selada provavelmente vão sair fibras da mesma grudada na esponja. Isso não é nada desejável, ainda mais se se utilizar uma madeira hinoki de folha única que custa caríssimo. O recomendado é selar previamente a madeira e retirar a borracha com bastante cuidado, não dar um puxão como se fazia quando se colava com cola rápida.
    Outra coisa, que nem chamo de contra mas de desvantagem em relação à cola rápida, é o tempo de secagem. Como não tem solvente demora um pouco para secar. Isso impossibilita trocar de borracha durante um torneio, por exemplo, pois seu jogo pode ser chamado e a cola ainda estar líquida na madeira / borracha.

    No geral fiquei muito satisfeito com as colas Spintech, desde que vi o vídeo de retirada da cola da esponja vi que era o que eu esperava. Comportamento parecido com aquele eu só tinha visto com um gringo que postou a mesma tarefa com Tear Mender, produto que não é vendido nem tem similares no Brasil.
    O preço das colas, principalmente da EG, é convidativo e para mim, se trata de um ótimo custo-benefício. Pena que comprei uma semana antes da BF e perdi a promoção…

    Belo review Nakata, mto bom!
    Então acho que uma camada de cola na esponja parece ser o bastante para uma boa aderência e tbm o suficiente para retirá-la como no vídeos

    Apenas como sugestão, talvez fosse legal vc tbm postar esse depoimente lá no tópico do gustavo, aí ficaria mais facil depois para buscar referencias sobre o produto pois estará tudo no tópico da spintech

Visualizando 8 posts - 256 até 263 (de 263 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.